14. O que são SPVs?

14. O que são SPVs?

Esta pergunta pode ser difícil, no início, mesmo para iniciantes no mundo do investimento. Mesmo para quem já conhece a Urbanitae, embora os SPV sejam E é que o nome pode induzir em erro. Uma SPV é um tipo de sociedade… mas não entendido como o conjunto de pessoas que vivem num país sob regras comuns. Estamos agora a falar de empresas empresariais, como a própria Urbanitae.

Um SPV é um veículo de propósito especial, ou seja, uma empresa com uma finalidade especial, também chamada de empresas de fachada. São assim chamadas porque têm uma finalidade diferente das empresas convencionais , que é, precisamente, constituir uma empresa. No domínio do crowdfunding, as SPV são criadas para canalizar o dinheiro contribuído pelos investidores para gerir o projeto específico para o qual o contribuíram.

Posso dizer-vos que, exatamente, estas empresas são permitidas por regulamentos europeus – Regulamento (UE) n.º 1075/2013 do Banco Central Europeu – apenas para operações de titularização. Mas você pararia de ler rapidamente – eu não o culpo. Certamente fica mais claro se eu lhe disser que as SPV são as empresas que são criadas para cada projeto que financiamos na Urbanitae.

E porquê? A principal razão é isolar o risco. Como sabem, cada projeto financiado pela Urbanitae é independente dos restantes. Se um projeto correr mal, o resto não é minimamente afetado. Para alcançar este rigor, são constituídas empresas independentes geridas pelo promotor do projeto e criadas única e exclusivamente para o projeto em questão. Desta forma, o investidor sabe sempre exatamente onde investiu o seu dinheiro. Além disso, a SPV garante que os investidores obtêm os mesmos benefícios que se investissem diretamente na empresa promotora.

Um SPV para tudo

No caso da Urbanitae, são utilizados SPVs em cada projeto, sejam ganhos de capital ou empréstimos. ( Os projetos de aluguer, embora considerados uma terceira categoria de projeto, são estruturados como um projeto de capital.)

Assim, em projetos de mais-valias ou de capital próprio, é criada uma sociedade anónima individual independente para cada projeto. O diretor da empresa é o promotor responsável pela realização da promoção. E todos os investidores entram nesta empresa como proprietários ou sócios na proporção do capital aportado. Uma vez financiado o projeto, é feito o aumento de capital. A SPV aumenta então o capital na empresa promotora do projeto, ou seja, no próprio promotor. Uma vez concluído o projeto, é convocada uma reunião para liquidar a empresa e, uma vez aprovado pela maioria dos sócios, o capital investido é distribuído juntamente com a rentabilidade gerada.

Em projetos de empréstimo, dívida ou crowdloaning, a operação é semelhante. A diferença fundamental é que, neste caso, os investidores não participam como sócios na SPV, mas através de um contrato de empréstimo com prazo e rentabilidade pré-determinados. Passado o prazo, o promotor deve devolver o investimento, independentemente do grau de progresso do projeto. Fácil, não é?

Se você quer rever conceitos ou saber mais sobre investimentos dentro e fora da Urbanitae, visite nossa seção de Aprenda com Matías.

Publicar um comentário